Somos pela Liberação do Aborto

Feriado da Páscoa. A Igreja, através de seus sacerdotes, aproveita a visibilidade para atacar o movimento pela discussão da legalização do aborto. Notem bem: a Igreja, tradicionalmente contrária ao aborto, não quer discutir o problema, procura atuar para impedir que o assunto seja tratado pelo povo através da maneira mais democrática: um plebiscito sobre a legalização do aborto. Portugal, recentemente, teve seu plebiscito e o aborto foi legalizado.

Mas parece que as coisas não serão tão fáceis para os religiosos. O novo governador do Rio, Sergio Cabral, deu a deixa. Ele se declarou a favor do planejamento familiar. Mais precisamente, ele considera que a discussão sobre o aborto deve acontecer. O Ministro da Saúde José Temporão também defende a realização de plebiscito sobre a legalização do aborto. Para ele esse é um assunto de “saúde pública”. O tema “legalizar o aborto” aparece com força nas agendas políticas e na imprensa. Zuenir Ventura usou seu espaço na página de opinião para comentar sobre as meninas-mães. Trata-se do enorme índice de mulheres, ainda crianças, que ficam grávidas em nosso país. Ancelmo Gois também tratou do assunto na edição de domingo do jornal. Miriam Leitão, faz algum tempo, declinou a estatística crua que mostra o perigoso caminho que nosso país está seguindo. É mais ou menos assim: as mulheres brasileiras mais miseráveis têm muito mais filhos que aquelas que têm condições de criar bem seus filhos. Uma mãe na faixa de renda abaixo de um salário mínimo tem em média mais de cinco filhos. A taxa para as mulheres com renda superior a 10 salários mínimos é de apenas 0,6 filhos por mulher! Assim, como bem registra Zuenir Ventura, o país está crescendo através de crianças geradas sem uma perspectiva de vida minimamente descente. Esses filhos e filhas, na maioria das vezes, vão compor um lar onde o pai foge de sua responsabilidade, deixando a mãe jovem para cuidar da criança. Essas famílias (ou semi-famílias) são o celeiro de crianças violentas, sem estrutura para freqüentar escolas, destinados desde sempre à marginalidade. E depois ficamos reclamando da violência das cidades? Todos conhecem a mais comentada das sacações do livro Freaknomics, que defende que a causa da diminuição da violência em Nova York não foi a política de repressão mais rígida. O motivo real foi a aprovação da legalização do aborto em 1973, que impediu a geração das crianças indesejadas, aquelas mais prováveis de se tornarem os marginais.

Então, este é o assunto do dia. A Igreja já disparou seu discurso contra o aborto ou qualquer prática de planejamento familiar. Sua orientação passa pela solução mais óbvia e pouco eficaz de ser implementada, que é o puro e simples celibato. Sexo, fica para procriação. Sem dúvida, uma proposta atual e alinhada com os anseios e realidades dos cidadãos e cidadãs. De nossa parte, ficamos com a posição radical. O aborto deve ser aprovado no país! Que seja legalizado o direito da mulher sobre seu corpo. Que não tornemos marginais as mulheres que realizam abortos a cada ano. Fiquem surpresos: o número de abortos supera o número de partos. O trabalho não é pequeno. Além do aborto, um grande projeto de educação é a solução maior para esclarecer os jovens do impacto em suas vidas se gerarem filhos indesejados ou não planejados. Entretanto, que se tome vergonha: comecemos, legalizemos o aborto em nosso país.

6 comentários a “Somos pela Liberação do Aborto”

  1. sou a fan vor da legalizaçao do aborto pq : isso é uma decisaão que só cabe a mulher toma-la .queira ver se fossem os homen que tivesse que parir sem querer e sem poder.rapidinho eles faziam uma lei pra liberar o aborto.por favor deixem de hiprocreia e posisionem mulheres.isso é seu direti que só nos podemos consiguir lutando.

    1. A decisão do aborto cabe a mulher ???? Para de falar besteira !!!
      A mulher não dá a vida, apenas gera, quem dá a vida é Deus, a mulher apenas gera. A criança não faz parte do corpo da mulher, é um outro ser que está ali dentro. Só porque está gerando uma vida, a mulher não tem o direito de matar essa vida. A mulher não dá a vida a ninguém, apenas gera, quem dá a vida é Deus.

  2. A liberaçao do aborto é um grave erro tenham conciência de suas atitudes pois prevençao existe, nao apenas um tipo mas sim varios a disculpa de falta de condiçoes financeiras para se previnir deve ser discartada são entregues , em postos de saude metodos anticoncepcionais gratuitmente nao se previne quem não quer .
    quem engravida sao as mulheres e se nao se cuidarem o parceiro jamais cuidara, a decisão cabe a cada um , concordo porem acredito que o oborto seja uma grande maldade mulheres com gestaçao de ate 5 meses cometem o aborto isso é grime vc esta matando uma vida q nao pediu para vir ao mundo e veio por falta de responsabilidade sua isso sim é ser hipocrita ! vc gostaria que tirassem sua vda? MULHERES posicionem – se sim mas para exigir metodos mais eficazes se não estão satisfeitas com os que lhes sao oferecidos.

  3. É fácil falar que só é a favor em casos como estupro, doenças, etc. A maioria é contra o aborto, falando que “se fez tem de criar, que é pouca vergonha, na hora foi gostoso, por que não usou algum método anticoncepcional….” e bla bla bla. Mas quando você toma todos os devidos cuidados e infelizmente acontece….. queria ver a situação que vocês entrariam. Pois é, eu sempre fui a favor do aborto, mas nunca dei chance para o azar. Mas ai, o que aconteceu? Minha namorada engravida tomando anticoncepcional, e fato, sem cometer erro. Então, a culpa é nossa? Os dois estudando, sem condições físicas e psicológicas para cuidar. Fazemos o que? Colocamos um filho no mundo para acabar com nossas chances futuras e para não ter condição de criar?
    Vocês que são contra o aborto são todos hipócritas, não sabem de nada, são cheios de moralismos. Agora nesse pais imundo do Brasil, como fazer um aborto seguro? Não tem como, e a mulher ainda tem de passar por situações onde se o psicologico do homem, meu, já está abalado, imagina o da mulher, dela.
    Pensem bem, não é assim que funciona. O maior aborto é correr o risco de acabar com seus planos e metas futuras e colocar alguém no mundo para sofrer, sem os pais terem condições de arcarem com algo como, uma escola decente, um brinquendo bacana, uma viagem no fim do ano.

    1. “Os dois estudando, sem condições físicas e psicológicas para cuidar.” SE TIVERAM CONDIÇÕES FÍSICAS E PSICOLÓGICAS PARA TER RELAÇÕES SEXUAIS, VÃO TER CONDIÇÕES FÍSICAS E PSICOLÓGICAS PARA CRIAR…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.