Cachoeira, Cavendish, Cabral…

Tava lendo o jornal… Jorge Carlos Moreno expõe a escolha de Sofia a que estamos expostos quando Garotinho divulga o vídeo que demonstra a grosseira intimidade de Sérgio Cabral com Cavendish. Como cobrar o esclarecimento dessa parceria estranha que pode identificar ligações de Cabral com a máfia brasileira construída por Cachoeira, envolvendo políticos e empresários numa mega organização, sem dar força a Garotinho. Moreno refere a máxima de Ulysses Guimarães: “Garotinho suja a denúncia que faz porque, no seu caso, não busca culpados, mas cúmplices.” irreparável. Zuenir Ventura confirma em sua coluna a aflição por que passam os cariocas. “A dúvida que fica no ar depois da leitura de cada capítulo do escândalo ė se, ou quando, vai respingar no Rio um pouco da lama da cachoeira Carlinhos.” A cena geral parece confirmar que está cada dia mais raro poder identificar político com visão de cidadania, com um mínimo de objetivo para melhorar a sociedade. Um a um, as opções se mostram mais interessadas em garantir seu direito divino a andar de helicópteros, ter casas em condomínios cinematográficos e usufruir dos caros restaurantes de Paris. Ai da gente. Mesmo que a blindagem funcione, Cabral está perdendo o rumo em sua trilha em direção à candidatura à presidência da república. O PMDB fica mais fraco. O PT se delicia com as oportunidades geradas pela fraqueza dos aliados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.