não tem tramela, é sem gelosia

Chico Buarque estava afiado quando da escolha das palavras da letra de sua música Flor da Idade:

A gente faz hora, faz fila na vila do meio dia / Pra ver Maria / A gente almoça e só se coça e se roça e só se vicia / A porta dela não tem tramela / A janela é sem gelosia / Nem desconfia / Ai, a primeira festa, a primeira fresta, o primeiro amor

Chamava atenção o uso das palavras tramela e gelosia. Não são de uso comum. Tramela é um ferrolho, que se gira em torno de um prego para fechar portas e janelas. Pode ser usado taramela, mas tramela é mais fácil de dizer e se prestou bem para o verso de Chico.

E gelosia? Esta é especial. Gelosia é “grade de fasquias de madeira cruzadas intervaladamente, que ocupa vão de janela” (Aurélio). Bem, isso nos remete às fasquias. O que é? Nenhuma surpresa. As fasquias são as ripas usadas para fazer o entrelaçado de madeira da gelosia. A origem da palavra gelosia é saborosa. Vem do árabe. A gelosia evita que quem está atrás da janela seja visto por quem está de fora. Os maridos árabes, por ciúme, usavam esta janela nos quartos de suas mulheres para evitar que elas fossem vistas por outros homens. E papo vai, papo vem, gelosia ficou associada ao ciúme. Em italiano, o filme Pão, Amor e Ciúme se chama Pane, Amore e Gelosia. Ciúme é gelosia! Mas é claro. Vocês já devem ter percebido. Como é ciúme em inglês? Jealousy! Em francês: jalousie. Há também celocia…

Reconhecimento: Este artigo é resultado de conversa mole de amigos num almoço de meio de semana no Gula Gula.

11 comentários a “não tem tramela, é sem gelosia”

  1. É natural que não haja comentários, são duas palavras pouco usuais, a segunda ainda é menos. Com a devida vênia eu não chamaria a tramela de um ferrolho, diria mais apropriadamente um fecho de ferro de correr. No entanto o mais importante é que foi transmitido o recado. Os complementos da descrição de gelosia deu no 10. Trata-se de anteparos que se colocam conjuntamente com as janelas, mas independentes, feitos de materiais, os mais diversos, que dispostos de forma entreliçada, uma vez a janela aberta, permite a ventilação, mas resguarda a quem está dentro não seja visto, sem lhe tirar a visão do exterior. No sul de Portugal, principalmente no Algarve, a arquitetura das casas usava muito esse recurso, advindo da cultura moura que dominou aquela região que por ter clima temperado, não tinha janelas, só gelosias (não em todos os cômodos!). Acho que é isso. Se acertei no 0 (zero) pelo menos tentei.
    Um abraço.

  2. Sem pressa escuto essa música do Chico ao menos uma vez por mês e essa é uma das minhas frases preferidas. Claro que quando ouvi a primeira vez não sabia o que era gelosia (assim como o corretor automático do word do meu computador que está acusando-a como incorreta), mas foi procurar saber e isso deixou a frase ainda mais gostosa. Hoje, por acaso, ouvindo a música digitei a frase no google e encontrei esse site, o qual achei muito interessante. Parabéns.

  3. Muito bom. Gostei de saber a existência deste site e sobre as curiosidades que ele revela. De bom gosto. Recomendo.

  4. tudo bem sobre gelosia.no entanto, tramela nada mais do que um pedaco resistente de madeira fixado pelo meio por um prego, pelo lado de dentro, nos alizares das portas ou janelas de casas humildes.quem ja viu entende na hora…….

  5. Cecília tem toda razão, deu um outro sabor pra essa letra. Meu word tb acusou palavra errada! Caí aqui! Estamos “lendo” um arranjo vocal pra essa canção! Delícia de letra!

    valeu!

  6. Valeu! Chico Buarque é mesmo um gênio da musica e da linguagem em geral , cada um interpreta a palavra “Gelosia” de uma forma , essa é a essência da musica Flor da Idade . Abraços………….

  7. Ah! Bom!… Vale salientar que Chico é arquiteto e pelo visto saca do negócio. É verdade. A gelosia é esse troço todo que se comentou. As moradas colonias abusavam do uso desse paramento arquitetônico. Outra cousa muito peculiar do período é o desenho das casas. As tais eram boladas de maneira que o visitante não avistasse as mulheres desde a sala de estar. Eu perguto: Ciume ou machismo? Xiiii! Mas a genealidade de Chico reside no fato de ele retirar de elementos construtivos valores semióticos e com a relativa simplicidade de uma janela formar a personalidade da mulher . Uma janela que nem fecha nem tem gelosia? Nossa! Que mulher maravilhosa, nâo? Abraços a todos. Sérgio

  8. um poeta sempre fará brotar flores até mesmo de um palito de fosforo riscado.
    o chico foi capaz de enchergar através das frinchas da janela deste castelo de taipa, a moça que se ocultava. desta construçao rudimentar e ecologica,da janela,da tramela,das paredes rachadas do barro seco, a doçura, a pureza da flor da idade.
    percepção e criatividade são requisitos básicos para ser poeta e o chico as tem.
    abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.