Homem do Ano Polemikos 2016

De vez em quando, lembramos de premiar um homem que se destaca, em geral, se debandando para o lado negro da Força. Sabem quem ganhou em 2013: Renan Calheiros. Sensacional! O ato síntese do seu prontuário naquele ano foi usar avião da FAB pra ir fazer implante de cabelo.

Mas eis que estamos encerrando 2016, um ano prenhe de mau-caratismo. Foi pródigo na canalhice. Tivemos o espetacular Eduardo Cunha, que brilhou o ano todo, mas cuja estrela se apagou quando foi fazer seu retiro enjaulado em Curitiba. Teve Lindinho se batendo pra salvar Dilma. Lula tentou aparecer dizendo que a Lava-jato tirou muitos empregos. O ministro Dias Toffoli fez um pedido de vistas que quase o levou para o pódio. A lista é grande. Mas Renan é muito competitivo. Não podia deixar barato. No final do ano, passou a perna nos concorrentes. Driblou até o pessoal do STF que vinha correndo por fora.

Renan é inigualável. Desde que chamou nossa atenção com o modelo de terceirizar os custos da amante para uma empreiteira, o jagunço senador é pule de dez para os primeiros lugares do concurso de Homem do Ano. Conforme a corda vai se enrolando no seu pescoço, Renan vai tentando jogadas mais arrojadas. Tentou emplacar uma lei de abuso de autoridade pra implodir a Lava-jato. O povo foi pra rua e seus pares deixaram ele sozinho. O ministro do STF Marco Aurélio tentou dar um basta e tirá-lo da presidência do Senado. Renan dobrou a aposta. Não recebeu a intimação mandando dizer que não estava em casa. Só Deus sabe que negociações (ou conchavos) fizeram o STF recuar. O Renan termina 2016 posando de macho alfa dos canaviais das Alagoas.

Ganhou o título que tanto almejava. É o Homem do Ano Polemikos 2016, derrubando a malta de crápulas de alta baixa estirpe. Mas tem um problema. O ano de 2017 vem aí. O STF foi sacaneado. Renan já é réu em processo na mais baixa Alta Côrte. A coleção de inimigos está crescendo. Ele sai da presidência do Senado no início de 2017. Tem gente afiando as garras. O povo quer sua cabeça num poste. Renan tem tudo pra disputar o título de novo no ano que vem. A história vai escrever os motivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.