Arquivo da Categoria: política

ONGs: corrupção e outras ideias menos simpáticas

Como todos sabem, sou de extrema direita. Fico puto com a incompetência brasileira para fazer algo certo. Minha comprometida bile também é castigada em assistir qualquer paspalho esperto, que tenha um padrinho no governo, faturar boa grana criando uma ONG. Tenho antipatia por ONGs, portanto, serei parcial, não esperem sutilezas. As corrupções corriqueiras identificadas em nosso país insistem em ter sempre uma ONG como parte do esquema. Também não é para dar em outra coisa. As empresas pagam impostos altíssimos e têm uma porrada de controles por parte do governo. O governo, ele mesmo, tem mecanismos para se auto controlar. E as ONGs? Com estas, temos que contar com a boa vontade de seus controladores. Continuar a lerONGs: corrupção e outras ideias menos simpáticas

Cabral e o jatinho do Eike

Eu aprovo o bom gosto do governador Sergio Cabral pelas coisas boas da vida. Por que ele havia de ser modesto? Se está na beirada do poder, tem que ostentar, exibir as vantagens que adquiriu através do voto popular. A coluna de Ricardo Noblat, em O Globo de hoje, mostra sua desenvoltura em gastar o equivalente a R$600 mil em viagens no jatinho do Eike. O Cabral é usuário frequente do avião do zilionário. Se Eike tem bom coração e gosta de lhe fazer mimos sem cobrar vantagens em negócios com o governo do Rio de Janeiro, por que ele havia de recusar? Vamos gastar o dinheiro de Eike Batista. Criar uma relação de trocas de favores com Eike é bom para Cabral e bom para o Estado do Rio de Janeiro. Quanto mais carícias trocarem, mais íntimos ficarão e poderão praticar ações em favor de nós cariocas. Tá bom que 600 mil reais permitiriam construir escolas, pagar melhor professores e bombeiros, mas isso é puro proselitismo. O que importa mesmo, e Cabral parece saber e praticar isso com afinco, é dar o melhor para nossa família e amigos. O luxo é uma delícia. Por que ficar no Rio de férias quando se pode ir para Bahamas, Paris ou Londres. Estou com Cabral. Discutam a ética à vontade, mas desde que não me tirem da vida de milionário. Infelizmente ainda não conquistei a desejada vida nababesca que nossos governantes usufruem.