Arquivo da Categoria: análise

Carros automáticos chegando

A mudança vem por aí. Os carros automáticos serão mais seguros que aqueles dirigidos por humanos. Os algoritmos e sensores dos veículos vão superar em muito os desatentos e intrépidos motoristas. Eu venho comentando que meus netos talvez nem tirem carteira de habilitação, pelo simples motivo que não terão muitas oportunidades para dirigir. Não valerá a pena enfrentar a infernal burocracia do Detran para conduzir esporadicamente um veículo. Minha previsão foi corroborada em artigo recente sobre o assunto:

“Tenho certeza que antes de 2030, se você tiver menos que 25 ou mais que 70 anos de idade, precisará de uma permissão especial para dirigir um carro. Também estou convencido de que não será permitido dirigir um carro da maneira clássica em certas ruas ou autopistas porque você colocará em risco as caravanas de carros autônomos trafegando nestas vias.”

Curioso esse admirável mundo novo que se aproxima. Entretanto, há uma oportunidade para o Brasil. Poderemos criar um parque para os civilizados no norte virem brincar. Eles poderiam dirigir carros no modelo antigo, passar marchas, fazer vagas… um sonho.

Vamos a ver.

O Mito da Vitamina C

Virou quase uma religião. As pessoas tomam vitamina C mesmo estando comprovado que ela não serve pra nada. É fato: vitamina C não cura resfriado. Se você exagerar e tomar doses muito altas, numa frequência elevada, a vitamina pode fazer mal a seu fígado. Sem novidades. Qualquer droga consumida de forma exagerada vai ser ruim pro fígado da criatura. 

Reconheço que ao dissolver uma pastilha de Cebion num copo d’água, depois ouvir o barulho das borbulhas, e sorvermos o líquido laranja com gostinho de refresco, ficamos certos de que fazemos algo saudável. Infelizmente, não. 

Linus Pauling ganhou o Prêmio Nobel. Fez várias contribuições notáveis para a ciência. Mas seu maior feito foi criar um negócio de bilhões de dólares disseminando a ideia errada de que vitamina C cura gripe. Ele tentou uns ensaios fajutas para comprovar o efeito da vitamina C. Não conseguiu. Mas, mesmo assim, criou o mito. Ainda hoje, a venda do placebo vitamina C rende zilhões para a indústria farmacêutica. 

Depois de ler esse artigo, você fica sabendo que a vitamina não ajuda em nada. Fica valendo o ditado: “Um resfriado bem tratado se cura em sete dias. Se for mal tratado, você fica bom em uma semana.”

Veja também artigo: WhatsApp does vitamin C actually do?

Jovens acampam na porta da Rede Globo


Pensei que eram os fãs do Justin Bieber. Jovens com barracas instalados na calçada da Globo na rua Jardim Botânico. Não era. Tratava-se de um protesto. Tinha carro de som e cartazes afixados na grade do prédio da empresa. Protesto contra o quê? As frases dos cartazes eram um primor superficialidade: “Temer jamais”, a “Globo apoiou a Ditadura”, “Agronegócio é veneno”. Uma besteirada só. Estão fazendo a cabeça da juventude com asneiras. Defendem e idolatram aqueles que assaltaram e desmontaram o Brasil. Sendo claro: Lula, Dilma, PT etc.  Continuar a lerJovens acampam na porta da Rede Globo

Oi: exemplo de marketing negativo

De repente percebi que não precisava mais do telefone fixo. A grande utilidade do fixo era informar o número à farmácia ou à pizzaria para confirmar o endereço de entrega em domicílio. Troquei para o número do celular e não reclamaram. O telefone fixo ficava tocando de vez em quando para fazer propaganda. Não tinha utilidade. Eu não aguentava mais uma gravação da voz do Silvio Santos vendendo alguma coisa. Uma tortura. A Oi também enchia o saco tentando vender novos planos.

Liguei tentando um plano mais barato que os R$45 que pagava. Não toparam. Cancelei o telefone. Continuar a lerOi: exemplo de marketing negativo