Arquivo de etiquetas: marketing

iTunes Match se ajustou às minhas necessidades

Se ajustou bem (match) ao que eu desejava para administrar minhas músicas. Pode ser comprado na loja da Apple. Depois de instalado, automaticamente identificou as músicas que eu tinha no meu micro e disponibilizou uma cópia delas para mim na Cloud. O iTunes Match, na versão de 5 GB, pode fazer isso com até 25.000 músicas! Acho que conseguirei me adaptar a esta restrição. As músicas que ficam no iTunes Match podem ser tocadas no meu iPhone, iPad ou na Apple TV, quer dizer, dá pra carregar e ouvir em qualquer lugar. O custo é de US$25 por ano. Usando a unidade monetária do site iPadDicas, este serviço custa apenas 25 obamas. Bom preço.

O detalhe é a mágica da internet de hoje. A Apple tem catalogadas 20 milhões de músicas. Quando você se conecta com o iTunes Match ele verifica se as músicas que você tem no seu disco rígido estão nos arquivos da Apple e disponibilizam a versão deles, às vezes, com melhor qualidade do que aquela que você tinha na versão que estava em seu computador. E para colocar seus CDs no iTunes Match? Outra função que vem com a usabilidade que Mr. Jobs queria oferecer. Coloquei meu CD no drive e, na hora, o iTunes perguntou se eu queria puxar para dentro dos arquivos de música deles. Um espetáculo! Agora, meu Rolling Stones, Tatoo You, está disponível em todos meus dispositivos. Show!

Tá bem que estou cada dia me enredando mais no ambiente Apple. Que se há de fazer? Eles entregam o que promete. O preço é razoável. Vamos em frente.

Igreja é bom negócio

20130120-175849.jpgImpressiona o dinheiro que circula no negócio das igrejas. A fortuna do Bispo Macedo, conforme O Globo apontou citando reportagem da revista Forbes, beira um bilhão de dólares. O serviço que elas prestam é importante. Direcionar o povo para busca de solução nos deuses é boa maneira de manter a massa anestesiada. Quanto menos percepção da realidade melhor. Se os crentes não se sentem escorchados com a grana que lhes tiram, está tudo na mais perfeita ordem. Os gerentes e empresários da fé devem ser bem remunerados. Quem tem inveja desses empreendedores de sucesso deve chorar no chuveiro ou abrir sua própria igreja. Se tiver pouca criatividade, procure uma franquia de igreja, já deve ter este produto disponível no mercado. O título da matéria de O Globo resumia tudo: “Templo é dinheiro.”

O Olimpo da Tapioca

20120303-142504.jpgFica feira de sábado, na rua Frei Leandro, esquina com Custódio Serrão. A tapioca é um espetáculo. Faz parte da programação de compras no mercado de rua. A taipioca com queijo sai por R$3. Mas gosto da clássica e simples tapioca com manteiga, bem mais em conta, saindo a R$1,50. O refrigerante pode ser providenciado na barraca vizinha. É um bom lanche para enganar o estômago na espera pelo almoço tardio de final de semana.

Os mais abastados podem esperar mais tarde abrir o Olympe, que fica a poucos metros da barraca da Tapioca. Recomendo ali o menu confiance, uma sucessão de pratos (da ordem de cinco, se contarmos a sobremesa) com o sabor maravilhoso produzido pelo Claude Troigros. O preço por pessoa é puxado: R$216. Sem dúvida, será necessário fazer muita economia na tapioca para chegar ao Olympe.

temos medo de sair às ruas com câmeras fotográficas

É uma característica do brasileiro nos centros urbanos. Temos a certeza de que estamos sempre sendo observados como alvos potenciais para um assalto. Uma câmera, em particular as DSLR mais chamativas, é o típico objeto de interesse dos assaltantes de rua. Dá medo sair com uma na rua. As vendas de câmeras parecem evidenciar o receio do brasileiro de sair às ruas com máquinas mais vistosas. Matéria do site G1 mostra que no Brasil só 1% das máquinas vendidas estão na faixa das DSLR. No mundo, este percentual está em 10%. Um fato que comprova a paranóia dos usuários das câmeras fotográficas maiores é apreciado quando se vai, por exemplo, a pontos turísticos onde a segurança é maior. O Jardim Botânico do Rio é um caso desses. Por lá, como de repente, aparecem vários fotógrafos portando seus equipamentos mais sofisticados. No Centro da cidade do Rio de Janeiro, quase não se vê os ousados fotógrafos. Continuar a lertemos medo de sair às ruas com câmeras fotográficas

Ridícula polêmica em torno de anúncio de Gisele Bündchen para Hope

à direita: nossa sugestão para o uso da figura feminina nas publicidade nacional

Por que dar espaço para pessoas reclamarem de uma propaganda engraçada, que brinca com o poder das mulheres em usarem sua beleza para negociar com seus parceiros? Patético! Gisele é uma das mulheres mais bem sucedidas do mundo. O anúncio é uma brincadeira com as clássicas negociações que acontecem nas relações. Mostrar Gisele, mesmo que rapidinho, é um colírio para os olhos (a essa altura, já posso ser enquadrado como sexista). Foi uma brincadeira de bom gosto. Mau gosto é ver pessoas com a cabeça mal resolvida se aproveitarem da peça de propaganda para aparecerem. Continuar a lerRidícula polêmica em torno de anúncio de Gisele Bündchen para Hope