Arquivo de etiquetas: análises

Míriam Leitão e a economia de eletricidade no horário de verão

A colunista afirmou que o horário de verão parece não ajudar, pois todo ano o consumo de energia elétrica aumenta. Isso é que é análise simplista. O horário de verão é para se economizar energia. Não quer dizer que com o horário de verão gastaremos menos energia elétrica que no ano anterior. Em 2012, a estimativa da economia foi R$120 milhões. Como o por do sol acontecerá mais tarde, gastaremos todos menos luz. Na verdade, o consumo está aumentando por outros fatores, o mais importante, é que a renda está mais alta e o povo está consumindo. O ar condicionado deve estar ligado mais tempo, já que diminuiu o medo da conta. O verão de 2012 teve um calor meia bomba, mas o povão gastou mais com suas geladeiras novas compradas com imposto menor e para carregar seus novos smartphones (para os leitores menos atentos, aviso que este último comentário foi sarcástico). Mas o que me surpreendeu foi a colunista de economia de O Globo não entender direito a questão do horário de verão.

Continuar a lerMíriam Leitão e a economia de eletricidade no horário de verão

cadê minha cota?

As cotas proliferam. Tem cota pra tudo. Cota para negros, mulheres, pessoas com necessidades especiais. Trata-se de incontinência cotista. O tema me incomoda. Tenho noção das disparidades de nossa sociedade. As diferenças de salário em nosso país são enormes. As oportunidades também são diferentes. Mas criar cotas não me parece a maneira de melhorar a situação. Acredito que o governo utiliza essa prática para se eximir das responsabilidades de gestão que lhe cabem. Por exemplo, ao invés de criar boas escolas, pagar bem os professores, destinar verba para a educação, o governo dá uma de bonzinho e distribui vagas para determinados grupos. O procedimento me parece inconstitucional. Afinal, tem um preceito em nossa Carta que fala de direitos iguais. Continuar a lercadê minha cota?

Títulos do Tesouro Americano e Bens de Giffen

Definição da Wikipedia: “Em economia, um Bem de Giffen é um produto para o qual um aumento do preço faz aumentar a sua demanda. Este comportamento é diferente do da maioria dos produtos, que são mais procurados à medida que seu preço cai.” É um fenômeno peculiar que estudamos na micro-economia e raramente podemos ver acontecer. Acho que aconteceu recentemente. Não foi um caso de elasticidade preço de um produto. Trata-se da “elasticidade risco”! Os EUA têm seus títulos do tesouro com a mais alta cotação nos mercados mundiais. A agência de risco Padrões e Dos Pobres (Standards & Poor´s) aumentou o risco dos títulos americanos. Esta mudança causou apreensão nos mercados mundiais. As empresas (e eventualmente países) retiraram suas aplicações de risco em países em desenvolvimento e foram buscar produtos de baixo risco para colocar seus ativos. E qual o bem que podiam recorrer? Surpresa: Títulos do Tesouro Americano. Continuar a lerTítulos do Tesouro Americano e Bens de Giffen

Qual câmera escolher entre a Nikon D7000 e a Canon 60D?

O mercado de câmeras na faixa intermediária – entre o amador dedicado e o profissional – foi agitado pelos recentes lançamentos das marcas mais famosas. Trata-se dos modelos Canon 60D (agosto 2010) e a Nikon D7000 (setembro 2010). A Nikon já está disponível nas lojas Best Buy, dos EUA. Até o final do mês de outubro de 2010, estará em todas as lojas. As câmeras Canon e Nikon apresentam semelhanças para quem analisa a compra de uma boa máquina fotográfica. Não é fácil decidir entre elas. Vejam abaixo as características dessas câmeras que são comumente avaliadas por quem deseja adquirir um equipamento: Continuar a lerQual câmera escolher entre a Nikon D7000 e a Canon 60D?

em tempos de iPad, ainda falamos de Kindle

estou me preparando para praticar a grande traição: trocar os livros por uma engenhoca eletrônica

Faz algum tempo, pesquisei sobre o Kindle no site da Amazon. O sistema inteligente de monitoração dos clientes da Amazon deve ter me incluído como possível interessado pela evolução do produto. Ou seja, entrei na mala direta da Amazon sobre o Kindle. Bem, se eu não tivesse gostado do material que recebi, chamaria de spam, mas eu gostei. O email começa assim: “Como alguém que demonstrou interesse anteriormente no Kindle, nós achamos que você poderia querer saber de seus novos recursos…”. Continuar a lerem tempos de iPad, ainda falamos de Kindle