Arquivo de etiquetas: brasil

Quem é o vilão das contas públicas? Os juros, idiota!

Os noticiários comentam o atual aumento de impostos dizendo que isso é necessário para “fechar” as contas públicas. A previdência é o culpado padrão para o estouro das contas. Também se reclama que o governo devia fazer sua parte. Fala-se do luxo e desperdício da máquina governamental. Se os brasileiros comuns perdem deus empregos, por que os funcionários públicos têm ganhado aumentos e usufruem de inigualável segurança no emprego? Mas será esse o maior fator desarrumador de nossa economia?

O tempo passa e o vilão dessa história de mistério não é desmascarado. Nada se fala sobre a taxa básica de juros. Nossa dívida atual está em três trilhões de reais. Esse valor, com a taxa atual de mais de 10%, gera um rombo de mais de 300 bilhões por ano. 1% de redução na taxa representaria 30 bilhões de redução na evolução da dívida. Essa taxa altíssima (não têm igual no mundo hoje) garante a transferência de renda do governo (aquele imposto que pagamos) para a banca e para os rentistas. Baixar os juros não seria a principal ação de gestão econômica do país para reduzir déficits?
Não sou Hercule Poirot, mas nesse caos que estamos, alguém já viu os banqueiros reclamando dos negócios? Fiquem atentos. Qualquer espasmo da economia e os gênios do Banco Central vão se apressar em aumentar os juros da taxa básica. 

E vamos cantar:  Ê, ô, ô, vida de gado / Povo marcado, ê! / Povo feliz!

Lewandowski esclarece que não houve Mensalão. Puxa vida, agora estou tranquilo.

20121004-170204.jpg

O revisor do julgamento do Mensalão esclarece a nação de que não houve Mensalão. Puxa! Que bom! Levandowski absolveu José Dirceu, que Chefe da Casa Civil na época, não sabia de nada. Quem não acredita em Papai Noel sabe (ou acredita piamente) que Dirceu estava na trampa. Se Lula também sabia, é um grande mistério.

O projeto do PT para ficar no poder por 20 anos foi colocado em cheque. Dirceu sair solto é bom resultado pessoal para ele. Mas o conjunto do julgamento nos mostra que o partido abandonou seu discurso pela ética. Foi ali pelo meio dos anos 90 que o partido virou uma “organização” voltada para resultados. E o resultado perseguido foi “manter-se no poder”.

Não sei o que move Lewandowski. É auspicioso o rigor jurídico que ele adota para garantir o direito do famoso réu ao beneficio da dúvida. Entretanto, talvez o país precisasse de uma decisão mais política. Ele também não é tão cartesiano em seus argumentos. Uma hora diz que só vale o que está nos autos. Na outra, cita como relevante matéria de jornal da semana passada. Para o emérito juiz, o depoimento de Roberto Jefferson não vale, pois ele é inimigo de Dirceu. Já os depoimentos de seu amigos Genoíno e outros são considerados de total idoneidade. Geisel (acho que foi ele) inventou a democracia relativa. Lewandowski vai entrar para a história do nosso Judiciário inventando a justiça relativa.

Na verdade, ali no tribunal vemos a prova cabal de que não adianta passarmos procuração a outros para nos protegerem. Temos a eleição nesse domingo, para mal ou bem colocar no poder quem queremos ou expelir aqueles que consideramos canalhas. Nós temos que cuidar disso. O juiz Lewandowski é apenas um rábula poderoso fazendo o que sua consciência orienta, ou o que suas crenças jurídicas determinam ou o que seus compromissos políticos exigem. Ou seja, o problema está em nossas mãos. No mais, que Deus olhe por nós.

Gestantes Precoces e Salários Menores para Negros e Mulheres

Esta foi a capa de O Globo de 13.05.12:

Este é um daqueles artigos que me assegurarão o direito, no futuro, de concorrer como candidato da extrema direita no Brasil, ou na França ou Grécia, onde estes caras já fazem sucesso. Não que o artigo seja preconceituoso. Mas o preconceito da ignorância atual é atacar qualquer coisa que aponte que os pobres são pobres por outros motivos além da culpa dos ricos.

A coluna da direita da capa do jornal trazia estatísticas desfavoráveis a negros e mulheres em relação a salários. Sem dúvida os negros atingem menores níveis nas carreiras e seus salários são menores. O grau de instrução conquistado pelos negros é menor, o que lhes dá menos oportunidades no mercado. Há o fator preconceito, mas acho este menos relevante que o puro e simples menor acesso à educação. Mas o que isso tem a ver com a bela menina grávida que aparece do lado esquerdo da foto? Continuar a lerGestantes Precoces e Salários Menores para Negros e Mulheres

Cachoeira, Cavendish, Cabral…

Tava lendo o jornal… Jorge Carlos Moreno expõe a escolha de Sofia a que estamos expostos quando Garotinho divulga o vídeo que demonstra a grosseira intimidade de Sérgio Cabral com Cavendish. Como cobrar o esclarecimento dessa parceria estranha que pode identificar ligações de Cabral com a máfia brasileira construída por Cachoeira, envolvendo políticos e empresários numa mega organização, sem dar força a Garotinho. Moreno refere a máxima de Ulysses Guimarães: “Garotinho suja a denúncia que faz porque, no seu caso, não busca culpados, mas cúmplices.” irreparável. Zuenir Ventura confirma em sua coluna a aflição por que passam os cariocas. “A dúvida que fica no ar depois da leitura de cada capítulo do escândalo ė se, ou quando, vai respingar no Rio um pouco da lama da cachoeira Carlinhos.” A cena geral parece confirmar que está cada dia mais raro poder identificar político com visão de cidadania, com um mínimo de objetivo para melhorar a sociedade. Um a um, as opções se mostram mais interessadas em garantir seu direito divino a andar de helicópteros, ter casas em condomínios cinematográficos e usufruir dos caros restaurantes de Paris. Ai da gente. Mesmo que a blindagem funcione, Cabral está perdendo o rumo em sua trilha em direção à candidatura à presidência da república. O PMDB fica mais fraco. O PT se delicia com as oportunidades geradas pela fraqueza dos aliados.

PT e Corrupção

Da série copiando dos outros: Na coluna de Merval Pereira de 06.04.12 aparece boa descrição do processo adotado pelo PT para garantir a maioria e se manter no poder.

Mas o partido que está no poder usava o combate à corrupção como sua marca antes de chegar à Presidência, e tentou manter a aparências nos primeiros tempos de poder central.

Diferentemente dos outros partidos, no entanto, no PT ser corrupto nao invalida a atuação política de um líder importante.