Pagar advogado é melhor que depositar dinheiro na Suíça

E disse Levandowski, presidente do STF:

“… São, pois, ilegais quaisquer incursões investigativas sobre a origem de honorários advocatícios, quando, no exercício regular da profissão, houver efetiva prestação do serviço. ”

Não entendi. O Brasil é realmente complexo. Um sujeito rouba loucamente a Petrobras. Junta algumas dezenas de milhões de dólares da rapina que praticou. Se ele separar, digamos, dez milhões de reais para seu advogado, esta grana fica automaticamente lavada e se torna inviolável. Ninguém pode correr atrás dela. O advogado que embolsa a grana do ladrão da Petrobras ou de um traficante, tem seu bolso protegido pelo STF. A parte do dinheiro roubado que é canalizada para o advogado (quase um sócio intocável) não volta mais.  

É bonita nossa justiça. Os bandidos da corrupção têm direito aos melhores advogados, os mais caros, que estarão sempre disponíveis e interessados em defendê-los, sabendo que os honorários que eles esquentam não voltam mais para quem foi roubado.  

Assim, a coisa certa a fazer é roubar muito, mas muito mesmo. Depois contrata um advogado para te proteger e a teu dinheiro. Vale pagar mais do que o advogado merece e deixar esse excesso depositado com ele em confiança. É melhor que colocar em banco suíço. Depois que as coisas se acalmarem, o rábula intocável poderá restituir a grana em módicas parcelas.  

Cada dia que passa me parece mais interessante fazer carreira de advogado. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.